http://igrejaevida.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/50 anos IPNCEgk-is-89.jpglink
http://igrejaevida.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/TV IPNCE_banner_sitegk-is-89.jpglink
http://igrejaevida.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Encontro Jovemgk-is-89.jpglink
http://igrejaevida.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Culto_comunitrio_okgk-is-89.jpglink
«
»
Loading…
Imprimir

02 Restauração Comunitária (Ne 3)

Ne 3.1-32

 INTRODUÇÃO

            Gosto de assistir ao programa “A Liga” da Band (acho até que já saiu do ar, pois faz tempo que não acompanho). Gosto, pois é um programa inteligente, questionador e interessante, pois aborda situações e realidades da vida humana. Muito melhor que outros programas que promovem a mediocridade e a futilidade. Em um dos programas, cujo tema era “Vivendo em Comunidades”, o repórter Rafinha Bastos foi até uma comunidade naturista, local onde as pessoas vivem sem roupas. Outras comunidades foram apresentadas, mas nessa algo me chamou a atenção. Um senhor, argentino, que comprara uma casa na comunidade naturista foi um dos entrevistados pelo repórter. Apresentou a casa, falou da vida sem roupa e quando indagado porque viaja da Argentina para o Brasil, quase uma vez por mês, para passar alguns dias na comunidade naturista, respondeu: “Aqui há união, todo mundo é igual”. Outro homem, presidente do camping naturista, ao ser interrogado pelo motivo que o levava a sentir-se “tão em casa”, a resposta foi: “Meus amigos... confraternização todo o fim de semana... meu povo”. Um terceiro homem recebeu a seguinte pergunta: “O que é esse lugar para vocês?” A resposta foi: “O paraíso”. Para terminar, o repórter perguntou ao presidente do camping: “Qual a diferença da amizade no naturismo e da amizade ‘lá fora’?”. A resposta: “Aqui você não vale pelo que você tem, mas somos todos iguais... O respeito mútuo é pelo que nós somos e não pelo que temos”. Em uma comunidade naturista, porque todos tiram a roupa, as pessoas experimentam uma vida comunitária sem divisões e facções, enquanto a comunidade de Jesus (com roupa!), muitas vezes não experimenta tal realidade. A Igreja é a comunidade onde as diferenças deveriam ser vencidas, superadas, mas nem sempre isso acontece. Não era para ser como é, mas a Escritura pode nos ensinar a esse respeito.

DESENVOLVIMENTO

            Neemias encontra Jerusalém destruída, conhece a situação e convoca o povo ao trabalho de restauração dos muros da cidade. Esse projeto tem êxito, pois a liderança se engaja e o povo, apesar das diferenças geográficas, históricas e profissionais, trabalha unido pela mesma causa: a reconstrução dos muros. Eis esses pontos em destaque.     

  1. 1.LIDERANÇA ENGAJADA

O capítulo três de Neemias relata a restauração dos muros de Jerusalém. A narrativa inicia-se com o trabalho do sumo sacerdote Eliasibe e seus colegas (“irmãos” na ARA). Isso é importante, pois Eliasibe era neto de Jesua (Ne 12.10).[1] Jesua foi o sumo sacerdote que retornou com Esdras (cf. Ed 2.36; 3.2). Eliasibe era o líder espiritual da nação e seu trabalho serve de testemunho e motivação aos demais. Outros sacerdotes também trabalharam na restauração dos muros. O versículo 22 narra que “sacerdotes das redondezas” trabalharam nos muros e o versículo 28 narra mais sacerdotes trabalhando nos reparos dos muros de Jerusalém. Importante também é a menção de levitas trabalhando na restauração dos muros (17a). Sacerdotes e levitas eram responsáveis pela espiritualidade do povo na época. Líderes espirituais. Liderança engajada.   

            O engajamento da liderança da comunidade na restauração é muito importante, pois testemunha e motiva outras pessoas que também fazem parte da comunidade. O que a liderança fizer, a comunidade fará, como a liderança fizer, assim a comunidade fará. Isso tem sido motivo de alegria e gratidão para mim, pois vejo os presbíteros, líderes espirituais desta comunidade local, completamente engajados no processo de restauração comunitário que temos enfrentado. Participam das reuniões, pregam, se interessam pelo trabalho. Dão exemplo e motivam as pessoas. Assim começa a Restauração Comunitária e isso está acontecendo aqui. Hoje a liderança tomou posse e isso gera responsabilidades. Líderes devem guiar o povo sempre na direção de Deus e não na direção humana. Líder, seu engajamento na Restauração Comunitária é imprescindível! Começa com você!    

  1. 2.UNIDADE NA CRUZ (GEOGRÁFICA E HISTÓRICA)

Outro fato importante nesse capítulo é o engajamento de “governadores” na reconstrução dos muros. Oito ao total trabalharam nessa restauração (vs. 9, 12, 14-19). Desses governadores, dois são de Jerusalém (vs. 9 e 12) e seis são governadores de outras cidades: Bete-Haquerém (v. 14) localizada a 4 km de ao sul de Jerusalém,[2] provavelmente residência de um governador distrital do Império Persa; Mispá (v. 15), situada ao sudeste do monte Hermom, mas ainda não localizada com precisão;[3] Bete-Zur (v. 16) que fica a 20 km de ao sul de Jerusalém;[4] metade de Queila (v. 17b), localizada cerca de 24 km a sudoeste de Jerusalém;[5] a outra metade de Queila (v. 18) e a outra metade de Mispá (v. 19). São quatro cidades diferentes: Bete-Haquerém, Mispá, Bete-Zur e Queila.  Soma-se a essa informação o fato de que pessoas de outras localidades também trabalharam na obra de restauração dos muros. Homens de Jericó (v. 2), cidade situada a 27 km a leste de Jerusalém,[6] homens de Tecoa (citado duas vezes: v. 3 e v. 27), pequena cidade a aproximadamente 17 km ao sul de Jerusalém,[7] de Gibeon (vs. 7), cidade situada a aproximadamente 10 km a noroeste de Jerusalém,[8] de Meremote (vs. 7), Mispá e de Zanoa (vs. 13), cidade de Judá (cf. Js 15.34).

            A unidade comunitária independe de onde viemos, pois somos unidos na cruz de Cristo. Muitos aqui nasceram na igreja, outros, como é o meu caso, nasceram fora da igreja e foram alcançados e redimidos por Cristo depois. Porém, todos fazem parte do mesmo corpo. As histórias são diferentes, mas agora o Corpo é o mesmo e o objetivo também: a restuarção. As diferenças de locais e histórias existem, mas na cruz, em Jesus, elas são destruídas e não influenciam nossa relação como Corpo e Igreja de Cristo.

            Na Igreja de Jesus Cristo essa unidade acontece, não por iniciativa humana, mas por iniciativa divina, conforme o que o apóstolo Paulo escreveu aos efésios (2.11-22):

Portanto, lembrem-se de que anteriormente vocês eram gentios por nascimento e chamados incircuncisão pelos que se chamam circuncisão, feita no corpo por mãos humanas, e que naquela época vocês estavam sem Cristo, separados da comunidade de Israel, sendo estrangeiros quanto às alianças da promessa, sem esperança e sem Deus no mundo. Mas agora, em Cristo Jesus, vocês, que antes estavam longe, foram aproximados mediante o sangue de Cristo. Pois ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um e destruiu a barreira, o muro de inimizade,anulando em seu corpo a Lei dos mandamentos expressa em ordenanças. O objetivo dele era criar em si mesmo, dos dois, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliar com Deus os dois em um corpo, por meio da cruz, pela qual ele destruiu a inimizade. Ele veio e anunciou paz a vocês que estavam longe e paz aos que estavam perto,pois por meio dele tanto nós como vocês temos acesso ao Pai, por um só Espírito. Portanto, vocês já não são estrangeiros nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus Cristo como pedra angular, no qual todo o edifício é ajustado e cresce para tornar-se um santuário santo no Senhor. Nele vocês também estão sendo edificados juntos, para se tornarem morada de Deus por seu Espírito.   

Quando Paulo fala em “dois”, está falando em judeus e gentios, ou seja, judeus e todos aqueles que não são judeus. Em Cristo não há mais essa separação que havia antes, pois todos passam a fazer parte de um “novo homem”, de “um corpo”. Na cruz de Cristo Jesus todas as diferenças entre nós é destruída e passamos a fazer parte da “família de Deus”. No naturismo o fato de despir-se “une” as pessoas, mas nós passamos a fazer parte do mesmo povo, corpo, família através da cruz e do sangue de Jesus Cristo.    

            A Igreja chinesa está experimentando um rápido crescimento e segundo o pastor Kan Boaping, secretário-geral do Conselho Cristão da China, esse crescimento se deve a unidade da Igreja no país. Divisões denominacionais foram vencidas e a Igreja chinesa cresce dia a dia.[9] Quando as diferenças são vencidas, a igreja cresce (e é restaurada!).

  1. 3.UNIDADE NO CORPO

Pessoas com profissões específicas também trabalharam na restauração dos muros de Jerusalém. Uziel (v. 8) e Malquias (v. 31) eram ourives e Hananias era perfumista (v. 8). Outros ourives e comerciantes (v. 32) também trabalharam, assim como Semaías, guarda da Porta Oriental (v. 29) e Pedaías e os servos do templo que habitavam em Ofel (parte norte da colina sudeste de Jerusalém[10] – v. 26). Há também a interessante menção de mulheres que se juntaram ao trabalho (cf. v. 12). Pessoas de ocupações e talentos diferentes unidas pelo mesmo propósito.

            Na primeira carta aos Coríntios (12.12-31), Paulo trata desse assunto de maneira muito clara e profunda:

Ora, assim como o corpo é uma unidade, embora tenha muitos membros, e todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo, assim também com respeito a Cristo. Pois em um só corpo todos nós fomos batizados em um único Espírito: quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um único Espírito. O corpo não é feito de um só membro, mas de muitos. Se o pé disser: “Porque não sou mão, não pertenço ao corpo”, nem por isso deixa de fazer parte do corpo. E se o ouvido disser: “Porque não sou olho, não pertenço ao corpo”, nem por isso deixa de fazer parte do corpo. Se todo o corpo fosse olho, onde estaria a audição? Se todo o corpo fosse ouvido, onde estaria o olfato? De fato, Deus dispôs cada um dos membros no corpo, segundo a sua vontade. Se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Assim, há muitos membros, mas um só corpo. O olho não pode dizer à mão: “Não preciso de você!” Nem a cabeça pode dizer aos pés: “Não preciso de vocês!” Ao contrário, os membros do corpo que parecem mais fracos são indispensáveis, e os membros que pensamos serem menos honrosos, tratamos com especial honra. E os membros que em nós são indecorosos são tratados com decoro especial,enquanto os que em nós são decorosos não precisam ser tratados de maneira especial. Mas Deus estruturou o corpo dando maior honra aos membros que dela tinham falta, a fim de que não haja divisão no corpo, mas, sim, que todos os membros tenham igual cuidado uns pelos outros. Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele. Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos o dom de realizar milagres? Têm todos o dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons.

Na Igreja de Jesus Cristo pessoas diferentes, de posições diferentes, de ocupações diferentes, de locais diferentes, trabalham juntas com vistas a um objetivo único: o Reino de Deus (restauração em nosso caso)! Essa união não depende de nossas habilidades e dons, pois todos devem ser usados para a edificação do Corpo de Cristo.  

Klênia Fassoni, da Ultimato, participou do 3º Congresso Lausanne de Evangelização em outubro do ano passado. Nesse congresso houve um momento de perdão. A Igreja brasileira, representada por sete pessoas (uma delas a Klênia), no palco, pediu perdão à Igreja africana, representada por algumas pessoas. O texto que se segue é o seu relato dela desse evento:

 


Auditório amplo

Chão escuro acarpetado

Poltronas vermelhas

Ocupadas pela metade

Quase todos negros

Poucas mulheres

No palco, mesa e púlpito

Na mesa, sete pessoas

Quatro negros, dois mulatos, um branco

Entre eles, uma mulher.

Reunião ordeira

Rostos alegres

Roupas coloridas

A Igreja da África reunida

Entramos no auditório

Representantes da igreja brasileira

Somos sete

Todos mais ou menos brancos

E um negro

Subimos juntos ao palco.

Na tribuna, nosso porta-voz

Leitura pausada e controlada

Nos últimos parágrafos

Voz embargada, tremor nas mãos

Silêncio completo

Seguido de palmas, em pé.

Alguém, lá atrás

Inicia um cântico

Cantam todos, suavemente

Lágrimas nos olhos

Brasileiros e africanos

Mulheres e homens.

Querem nos abençoar

Ajoelhamo-nos

Querem nos declarar seu perdão

Assim seja.

Na carta, a culpa e o pedido de perdão

400 anos de escravidão:

“Pecado do nosso povo contra seu povo.

De nossa nação contra a nação de vocês.”

E, também o desejo:

“entender a amplidão do amor de Cristo

que derrubou o muro de separação

que nos fez uma família n’Ele!”

O perdão, a bênção, o abraço

De todos da mesa, um a um

Abraço forte, sentido, sem pressa

Antes de voltar ao meu lugar

O abraço mais longo da minha vida

Ela, negra, encaixa meu rosto em seu ombro

E afaga meus cabelos

Eu, muito branca, acaricio seu rosto molhado

E admiro sua beleza

Deus nos abraça a ambas


A cor importa?[11]

 

Não, não importa! Essa é a resposta à pergunta que finaliza o poema. A cor não importa, assim como não importa a posição social, ocupação, local e dons. Nada disso importa. O que importa é o objetivo comum: O Reino de Deus.

 

  1. 4.OPOSIÇÃO

            Os nobres de Tecoa, ou seja, os majestosos, os chefes da cidade de Tecoa (mesma cidade do profeta Amós) não se “sujeitaram”, isto é, “não aceitaram se submeter”; “carregar” o trabalho da reconstrução. O original implica em “submeter o pescoço”, como os bois que não aceitam o jugo.[12] Sempre teremos “nobres de Tecoa” entre nós. Esses são aqueles que não aceitam se submeter ao trabalho, pois se acham superiores aos outros. Os “homens de Tecoa” participaram do projeto de restauração dos muros, mas os “nobres” não.   

 

  1. 5.RESULTADO DA LIDERANÇA ENGAJADA, UNIDADE NA CRUZ E NO CORPO:

No original há 26 expressões usadas para se referir a relação de trabalho. Essas vinte e seis (26) expressões dividem-se em apenas duas palavras no original: dïy" (yad) que significa literalmente “mão” e wyr"Ûx]a; (‘achar) que significa “atrás; depois”. dïy" (yad) é usada, por exemplo, em Neemias 3.2: “Junto a eles edificaram os homens de Jericó”. A expressão “junto a eles” é a tradução de dïy" (yad). Olhando o original e o contexto literário, podemos traduzir e interpretar que os construtores trabalhavam “de mãos dadas”, “lado a lado”. Essa expressão é usada entre Neemias 3.2-12. A segunda expressão, wyr"Ûx]a; (‘achar), é usada entre Neemias 3.16-31. Literalmente significa “atrás; depois” e se trata de lugar, posição. Um exemplo é Neemias 3.17: “Depois deles os reparos foram feitos pelos levitas [...]”. “Depois deles” é a tradução de wyr"Ûx]a; (‘achar). Mais uma vez, olhando o original e o contexto, podemos interpretar e traduzir como “estar próximo; perto”. Essas expressões são as mais usadas nesse capítulo de Neemias. “De mãos dadas”, “lado a lado”, “próximo”. Pessoas diferentes, de posições diferentes, de ocupações diferentes, de locais diferentes, trabalham com um único objetivo: a restauração dos muros de Jerusalém. As diferenças não impedem a unidade do povo que trabalha na restauração, pelo contrário, parece que promovem o trabalho de restauração. Todos trabalham, cada um na sua parte, mas lado a lado. Como um corpo. Aliás, Corpo é como o apóstolo Paulo se refere a Igreja de Jesus Cristo, conforme já vimos em 1Cor 12.12-31.

 

CONCLUSÃO

Pessoas diferentes, de lugares diferentes, ocupações diferentes e dons diferentes, juntas num só propósito: a restauração dos muros de Jerusalém. Isso é gerado pela liderança engajada, pela unidade na cruz e no corpo. O resultado é a proximidade das pessoas, as “mãos dadas” no trabalho. Pessoas diferentes, mas unidas pela cruz, no mesmo Corpo, trabalhando juntas umas às outras. Essa é a Restauração Comunitária.  

 



[1] BROWN, R. E., FITZMYER, J. A. e MURPHY, R. E. Novo Comentário Bíblico São Jerônimo – Antigo Testamento. [Trad. Celso Eronides Fernades]. São Paulo: Academia Cristã/Paulus, 2007, p. 784.

[2] Bíblia de Estudo NVI, 2003, p. 771, n. 3.14.

[3] Bíblia de Estudo Almeida. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, AT, p. 255, n. f.

[4] Bíblia de Estudo NVI, 2003, p. 771, n. 3.16.

[5] Bíblia de Estudo NVI, 2003, p. 771, n. 3.17,18.

[6] Bíblia de Estudo Almeida. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, Dicionário, p. 64.

[7] Bíblia de Estudo NVI, 2003, p. 770, n. 3.5.

[8] Bíblia de Estudo Almeida. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, AT, p. 252, n.  c.

[9] www.odiario.com/blogs/inforgospel/2010/12/11/igreja-na-china-cresce-devido-a-unidade/

[10] Bíblia de Estudo NVI, 2003, p. 772, n. 3.26.

[12] Bíblia de Estudo NVI. Kenneth Barker (org, geral). São Paulo: Vida, 2003, p. 770, n. 3.5.

  1. Pastorais
  2. Missionários
  3. Programações
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
Anterior Prximo

ALEGRIA!

18-02-2014 Hits:4257 Pastorais

“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do SENHOR.” Salmo 122.1 O rei Davi era um homem segundo o coração de Deus. Como rei havia muita coisa a ser feita, muitos...

Leia mais...

IPNCE, UM PRESENTE DE DEUS!

18-02-2014 Hits:4125 Pastorais

Quando se fala em aniversário logo nos vem à mente festa, docinhos, bolo e claro, presentes. São poucos os que não gostam de festa e menos ainda são aqueles que...

Leia mais...

UM DESAFIO PERMANENTE

18-02-2014 Hits:4090 Pastorais

Quando conheci a Igreja de Novo Campos Elíseos ela era uma comunidade nova, com seus seis anos de vida. Corria o ano de 1970, e o Rev. Silas de Campos...

Leia mais...

O QUE FAZER E O QUE NÃO FAZER

18-02-2014 Hits:3860 Pastorais

Em muitas situações da vida nós cristãos somos atingidos por sérias dúvidas quanto à aprovação de Deus para algo que queremos fazer. Pensamos coisas do tipo: será que Deus quer...

Leia mais...

CRESCER EM TUDO

18-02-2014 Hits:3992 Pastorais

É com muita satisfação que, mesmo à distância, compartilho com os irmãos e irmãs da Igreja Presbiteriana Novo Campos Elíseos a alegria de completar meio século de existência.  Destes 50 anos,...

Leia mais...

IPNCE 50 ANOS!

18-02-2014 Hits:4292 Pastorais

“Recordo-me da sua fé não fingida, que primeiro habitou em sua avó Lóide e em sua mãe, Eunice, e estou convencido de que habita em você. Por essa razão, torno...

Leia mais...

27-09-2013 Hits:4415 Pastorais

Hoje encerramos a série de setembro baseada no Livro de Jó com o título: "DEUS NO SOFRIMENTO: Enfrentando o sofrimento pela fé".

Leia mais...

SOMENTE CRISTO!

16-03-2013 Hits:4574 Pastorais

       Vivemos nos últimos dias grande movimentação e entusiasmo por parte dos católicos romanos por causa da eleição do novo Papa. Neste contexto faz-se propício a explicação de...

Leia mais...

MORTES, REAÇÕES E LEMBRANÇAS

08-03-2013 Hits:4824 Pastorais

            Esta semana nosso país foi alarmado com duas mortes com grande repercussão: o presidente venezuelano Hugo Chávez e Chorão, líder da banda Charlie Brown...

Leia mais...

IPNCE 49 ANOS!

10-02-2013 Hits:4816 Pastorais

A segunda marca da IPNCE é a oração como podemos notar no trecho abaixo, continuação do texto apresentado no boletim passado: “Os primeiros frutos começaram a aparecer; o número de interessados...

Leia mais...

IPNCE 49 ANOS!

03-02-2013 Hits:4427 Pastorais

Uma das marcas da IPNCE é a evangelização. A evangelização como parte da missão da igreja é vital, pois a missão não é aquilo que a igreja faz, mas o...

Leia mais...

IGREJA

27-01-2013 Hits:4737 Pastorais

“Enquanto adoravam o Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: ‘Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado’. Assim, depois de jejuar e orar, impuseram-lhes as...

Leia mais...

DANILO E DEISE

13-02-2013 Hits:4541 Missionários

DANILO E DEISE

“Danilo e Deise Ladentim são missionários de tempo integral desde 2006. Formaram-se em 2 escolas de treinamento dentro da JOCUM: ETED - Escola de Treinamento e Discipulado e ETMIL -...

Leia mais...

PASTOR MARCOS JOSÉ VICTOR

13-02-2013 Hits:5265 Missionários

PASTOR MARCOS JOSÉ VICTOR

O Pastor Marcos trabalhou como seminarista em nossa comunidade e hoje pastoreia a Igreja Presbiteriana de Campo do Brito em Sergipe. Contato Rua Pedro Ribeiro da Silva, 106CEP 49520-000Campos do Brito –...

Leia mais...

TEREZINHA

13-02-2013 Hits:4289 Missionários

TEREZINHA

            O projeto de nossa irmã Terezinha é trabalhar na Angola. Ela já esteve no país em três oportunidades e hoje cursa o CFM (Centro de...

Leia mais...
Domingo               Segunda-feira            Terça-feira           Quarta-feira        Quinta-feira        Sábado                          
Culto Matutino
9h00

Escola Dominical
10h00

Culto Vespertino
18h30

Intercessão na Igreja
7h00

Encontro nos Lares
20h00

Oração na Igreja
20h00
SAF
14h30
Artesanato
14h30
Encontro dos Jovens
19:30

* Mais informações acesse:
Jovens IPNCE